MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

‘Esticar de cordas passou de todos os limites’, dispara Lira sobre voto impresso

Para o presidente da Câmara ressaltou que o debate sobre o voto impresso está encerrada e que é preciso voltar à normalidade
Da Redação – Portal AM1*
• Publicado em 11 de agosto de 2021 – 11:31
Foto: Divulgação/PP

BRASÍLIA, DF – Após a votação para decidir o futuro do voto impresso, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, afirmou que a pauta está encerrada e que a Casa precisa voltar à normalidade. A PEC do voto impresso foi rejeitada nesta terça-feira (10), por 229 contra e 218 a favor.

Segundo Lira, agora é preciso “baixar a temperatura” na Câmara e ainda destacou que “o esticar das cordas passou de todos os limites”. A PEC havia sido rejeitada pela Comissão Especial e, mesmo assim, Arthur Lira decidiu levar ao plenário para votação dos deputados.

“Nós trabalhamos para dar um ponto final nessa situação. O esticar das cordas, no meu entender, passou de todos os limites. Temos que trazer para a normalidade”, afirmou o presidente em entrevista a Globo News.

Leia mais: Câmara dos Deputados rejeita PEC do voto impresso e texto será arquivado

Apesar de Lira ressaltar que confia no sistema eleitoral brasileiro, ele comentou que existem dúvidas e desconfianças sobre a auditagem dos votos, além do processo eleitoral. Porém, para ele “nós não podemos chegar à eleição com a versão de que esse ou aquele foi prejudicado”.

Bolsonaro fala em ‘chantagem’ após derrubada do voto impresso

O presidente Jair Messias Bolsonaro disse a seus apoiadores que a derrubada da PEC do Voto Impresso, foi reflexo de chantagem e medo de deputados sofrerem retaliações. A PEC foi votada na Câmara dos Deputados na noite de ontem (10).

O chefe da República agradeceu a votação favorável a PEC, no caso de 229 votos e disse que houve chantagem para desaprovar a proposta e que outros não votaram por medo

“Quero agradecer à metade do parlamento que votou de forma favorável ao voto impresso, parte da outra metade que votou contra, que entendo que votou chantageada. Uma outra parte que absteve, não todos, mas alguns lá não votaram por medo de retaliação”, disse o presidente.

Leia mais: Bancada amazonense se divide na votação do voto impresso

O presidente disse que não acredita em resultado confiável nas eleições de 2022 e disse que para algumas siglas partidárias o voto eletrônico é ideal.

“Em números redondos, 450 deputados votaram ontem, foi dividido. Então é sinal que metade não acredita 100% da lisura dos trabalhos do TSE, não acredita que o resultado seja confiável. Dessa outra metade que votou contra, você tira PT, PCdo B, PSOL, e para eles é melhor voto eletrônico como esta aí”, disse.

(*) Com informações do Uol

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: facebook, instagram e twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap